SEO: 6 critérios que você não pode mais ignorar!

SEO

De fato, SEO (Search Engine Optimization) ou SEO natural é crucial se você quiser que os usuários da Internet o encontrem… antes de entrar em contato com seus concorrentes.

De fato, mais de 80% dos consumidores consultam online antes de comprar. Dessa forma, tanto em B2C quanto em B2B, é impensável não investir nesse aspecto fundamental para o seu negócio.

Assim sendo, para ajudar você a entender mais sobre os critérios que você não deve ignorar em SEO, eu preparei o artigo de hoje sobre o assunto. Ficou interessado em saber mais? Então acompanhe comigo agora mesmo!

O que é SEO?

Otimização para mecanismos de busca, também chamada de SEO, refere-se a uma parte do mix de marketing online que lida principalmente com a localização de páginas sobre pesquisa orgânica nos vários mecanismos de busca, como Google, Bing, e muitos mais.

Trata-se de fazer com que suas próprias URLs, ou seja, seu próprio conteúdo, apareçam nos resultados dos mecanismos de busca (SERPs) nas posições de destaque 1-3 (ou 1-10).

Para alcançar essas posições principais, existem muitas alavancas diferentes que podemos usar, como otimizações técnicas e de conteúdo das páginas existentes!

Os objetivos da otimização para mecanismos de busca (SEO)

O principal objetivo do SEO é, simplificando, ser colocado nos resultados de pesquisa orgânica, especialmente, é claro, nos resultados de pesquisa do Google, mas também nos outros mecanismos de busca diferentes nas primeiras posições do ranking.

Você deve se certificar de que a apresentação do resultado de pesquisa (trechos) que aparece nos mecanismos de busca deve motivar os usuários a clicar no seu resultado, ou seja, no seu site.

De fato, o objetivo aqui é atender às expectativas do usuário em relação à correspondência de conteúdo entre a respectiva consulta (o termo de pesquisa) e o conteúdo do site, para que o usuário também permaneça em seu site e não volte diretamente para a página SERP.

6 critérios que você não pode mais ignorar em SEO

A experiência do cliente

Para chegar aos primeiros 3 resultados do Google (onde 77% dos cliques são reproduzidos), você deve “servir” ao usuário!

Muitos tentaram determinar exatamente os aspectos do algoritmo secreto e falharam. A lição a ser lembrada: escreva para seus prospects, não para robôs do Google!

Sem entrar em detalhes, uma boa experiência do cliente é um site:

  • Que responde à pergunta da sua audiência com precisão, simplicidade e concisão
  • Que “carrega” rapidamente – qualquer carga de mais de 2 segundos pode ser penalizada
  • Em suma, que é seguro – que tem um certificado HTTPS. Muitos sites ainda são encontrados sem o protocolo de segurança
  • Que não tem pop-ups indesejados
  • Que contém mídia rica: imagens, infográficos ou vídeos

Dica: Se você está em dúvida sobre o que significa uma boa experiência do cliente, digite a palavra-chave para a qual deseja ser referenciado, clique nos 3 primeiros resultados de pesquisa e analise a estrutura dessas páginas.

O celular

A população mundial usa mais telefones celulares do que computadores para navegar na Internet: 53,8% se conectam em um smartphone, em comparação com 48% em um computador.

Além disso, havia 322.000 usuários móveis em 2017 (em comparação com 250.000 em 2015, um aumento de +28,8% em apenas 2 anos).

Isso significa que as empresas têm todo o interesse em apresentar ao seu público um site eficiente e compatível com dispositivos móveis.

Se você ainda não fez isso ainda, invista em um site responsivo e conteúdo fácil de consumir no celular. O melhor? Pegue um CMS escalável e “nativamente” adaptado para celulares e tablets, como o WordPress, por exemplo.

Dica: dependendo do nicho, a parcela de pessoas que usam o celular pode variar. Você pode acessar a distribuição do seu tráfego por interface (celular, tablet ou computador) através do Google Analytics (se você ainda não o usa, lembre-se de que este serviço oferecido pelo Google é, ao contrário da maioria de sua oferta, gratuito!).

Conteúdo com alto valor agregado

Este tem sido o principal desafio para os profissionais de marketing há 3 anos e, portanto, não é novo em 2021. Querer ser referenciado sem criar conteúdo de valor é como fazer um cachorro-quente… sem salsichas.

Você deve alimentar o Google para que ele possa indexá-lo seu mecanismo de busca!

Mas não para por aí: seu conteúdo deve ser único para se diferenciar entre os 2 milhões de posts que são criados todos os dias. E para isso, você deve construir uma verdadeira estratégia editorial.

A concorrência está ficando cada vez mais difícil no campo do marketing de conteúdo.

Para se destacar da multidão, sua estratégia editorial deve estar alinhada com os problemas de suas personas, com as pesquisas realizadas, usando a mídia que elas preferem (artigos? infográficos? vídeos? casos práticos?) e divulgando seu conteúdo nas redes sociais que elas usam!

Se você compartilhar conteúdo relevante, que traga valor para o seu público, naturalmente ganhará:

  • Backlinks (sempre fundamental para que seu site seja referenciado corretamente)
  • Compartilhamentos
  • Aumento das visitas ao seu site
  • Aumento do tempo gasto em seu site e nas visualizações de página

Em suma, todos os sinais “fortes” para o Google te amar e fazer você subir nos resultados de pesquisa!

O vídeo

O último estudo (2019) realizado pelo BuzzSumo em mais de 777 milhões de postagens no Facebook prova isso para nós: o vídeo agora é essencial no mix de mídia.

Dos 500 posts mais populares no Facebook em 2018, mais de 80% desses posts eram vídeos.

O lançamento de novos produtos em 2018 por gigantes como Instagram IGTV ou Facebook LiveStream mostram o desejo de favorecer esse meio.

O vídeo gera mais engajamento, é mais fácil de consumir do que um longo post de blog e é amado por algoritmos! Também permite que você esteja presente no Youtube, um canal indispensável para qualquer profissional de marketing hoje.

Pesquisa de voz

“OK Google, onde fica o posto de gasolina mais próximo?”.

Esse fenômeno se deve à proliferação de interfaces de voz comerciais: Amazon Alexa, Apple SIRI, Google Assistant…, mas também a “caixas” ou alto-falantes inteligentes que permitem que você inicie uma lista de reprodução por voz, desligue uma luz em sua casa se você investiu em um sistema de automação residencial.

Já amplamente populares nos Estados Unidos, essas soluções chegarão muito rapidamente ao Brasil.

Para atender a essa demanda crescente e cativante, você deve trabalhar em seu SEO de voz.

Marketing local

O SEO local é poderoso porque permite que você capture clientes locais, que estão pesquisando ativamente (na chamada fase de “decisão”) quando mais precisam do seu produto ou serviço.

E com a geolocalização, a pesquisa local é ainda mais relevante hoje.

A base é o Google Meu Negócio, o diretório online gratuito do Google, que também permite que você apareça no Google Maps. E para melhorar o SEO local do seu arquivo do Google meu Negócio e, assim, se beneficiar dos benefícios dele, vários critérios entram em jogo.

Avaliações de clientes parecem ser um dos critérios que mais impactam no SEO local da sua empresa! Além disso, se você respondeu aos comentários de seus clientes.

Gostou de saber mais sobre os critérios importantes para SEO? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Receba mais conteúdo
Se inscreva em nosso newsletter e receba mais conteúdo antes de todos, fresquinho saindo do forno.

Rua Voluntários da Pátria, 560 Conj. 303 • São Paulo - SP • 11 2251.1188